A compra de um imóvel é uma decisão que exige muito planejamento, pesquisa das opções disponíveis e organização financeira. Afinal, trata-se de um montante alto e de um bem que integrará o seu patrimônio por muitos anos. E mesmo que seu objetivo seja apenas investirpara alugar ou vender no futuro é fundamental entender quais são os fatores que influenciam o preço do imóvel, comparando, sempre, o custo-benefício das opções disponíveis e entendendo qual oferece mais vantagens, por um preço que caiba no seu bolso ou que seja um bom negócio para venda.

Localização

Um imóvel bem localizado costuma ter um preço superior. Quanto mais completo for o bairro, do centro da cidade ou de facilidades, como transporte público, trens, parques, escolas, maior o preço do imóvel – e também a sua valorização.

Fatores que valorizam a qualidade de vida dos moradores, como áreas verdes, espaços coletivos para atividades físicas e lazer, pontos culturais, shoppings também contribuem para essa valorização. 

É fácil compreender esse cenário: quanto melhor for o bairro, mais pessoas desejam residir nele, fazendo com o preço do m² se eleve.

Tamanho do imóvel

A metragem também influencia no preço do imóvel. Geralmente, imóveis novos e menores costumam ter o preço por m² menor do que os imóveis maiores. Contudo, essa regra não se aplica no caso de imóveis antigos.

Na verdade, tudo dependerá dos atrativos que o imóvel apresenta. Um apartamento pequeno pode ter um custo elevado caso ele esteja localizado em um bairro excelente e tenha acabamentos de primeira qualidade. Via de regra, quanto maior for o imóvel, mais caro ele custará.

Acabamentos

Acabamentos de qualidade inferior podem fazer o preço de um imóvel despencar, mesmo que ele seja grande ou bem localizado. Dessa forma, caso você tenha encontrado uma oferta abaixo do normal, em uma excelente localização e com uma boa metragem, cuidado! Lembre-se que os acabamentos são parte importante da estética e funcionalidade do imóvel e merecem atenção.

Estrutura social e área de lazer

Os imóveis localizados em condomínios  costumam custar mais caro – e o preço do imóvel ainda varia dependendo dos atrativos que esses condomínios oferecem. Imóveis em condomínios com segurança, portaria, piscina, área fitness, academia, sauna, espaço gourmet, SPA etc. têm um preço de venda superior. No momento da compra é  importante analisar se esse custo fixo cabe no seu orçamento e se a estrutura contempla todas as necessidades da família.

Idade do imóvel

De forma geral, imóveis antigos costumam ser mais baratos do que os novos. Exceto quando a compra é realizada na planta, ou seja, ainda em fase de construção.

Outro ponto que influencia é em termos de conservação. Imóveis antigos costumam precisar de reformas e, por isso, têm o preço de venda menor, pois, quem comprar, acabará tendo de investir mais para deixar o imóvel confortável e adequado.

Porém, um imóvel antigo que acabou de passar por uma reforma poderá ter um preço mais elevado, porque ele já foi modernizado e está pronto para morar.

Vagas de garagem

Tanto imóveis em condomínio, como fora dele, podem ser mais baratos se apresentarem menos vagas de garagem – ou garagem descoberta. Afinal, muitas famílias costumam ter mais de um veículo e desejam guardá-lo em um local seguro e confortável.

Posição do imóvel

A posição do imóvel em relação ao sol é um ponto que pode aumentar ou reduzir seu valor. Geralmente, os imóveis que recebem luz solar pela manhã costumam ser mais caros, porque são mais frescos durante o verão e mais quentinhos durante o inverno.

Contudo, isso pode variar dependendo das preferências dos moradores. 

Documentação

Ninguém deseja comprar um imóvel irregular, com problemas na justiça ou que possa ser penhorado, por exemplo. Por isso, desconfie de imóveis bem localizados, modernos e com preço muito abaixo do mercado. Geralmente, isso pode indicar problemas de documentação, bens penhorados ou imóveis em inventário – que trarão dificuldades de compra devido à necessidade de todos os herdeiros concordarem com a transação.

Além disso, imóveis com atraso nas taxas e impostos da prefeitura, como o IPTU, ou até mesmo das taxas condominiais, podem ser vendidos mais baratos do que a média do mercado. Saber quais documentos avaliar no momento da compra ou venda é imprescindível.

Os fatores acima influenciam não apenas no preço final como na valorização do imóvel. Saber exatamente quais são as necessidades dos moradores é o que vai determinar uma compra mais assertiva onde o valor pago deixa de ser um impeditivo e torna-se um excelente custo-benefício. Além disso, contar com um bem que não desvaloriza e que aumenta o patrimônio da família é sempre um bom negócio.

Aqui na Viva o Bairro, nosso trabalho é esse: encontrar os melhores imóveis que combinem com as necessidades que você procura, auxiliando não só na realização de um sonho como na execução de um bom negócio. Entre em contato!