2020 foi um ano surpreendente. Muitas coisas aconteceram e aprendemos – de forma dura – que não importa o quão perfeito seja o planejamento, sempre existem fatores que não podem ser controlados. O comportamento do consumidor mudou e é preciso estar atento às novas tendências.

Empresas, clientes e trabalhadores “digitalizaram” seus processos, o home office passou a ser uma realidade. Consumidores renderam-se de vez ao delivery. Pessoas desenvolveram novas habilidades. Todos estão mais em suas casas. A todo esse cenário deu-se o nome de novo normal”.

A Loft — startup de compra, reforma e venda de imóveis — ouviu 1,3 mil pessoas, numa pesquisa com clientes e corretores, em São Paulo e no Rio, e constatou o óbvio: as pessoas estão atribuindo maior valor a seus lares. 

Apartamentos maiores

A consequência de passar a maior parte do tempo em casa resultou no interesse por apartamentos maiores e, consequentemente, mais caros.

Espaço para home office

Uma forte exigência percebida pelos compradores na pós-pandemia é a área exclusiva para home office. Em muitas organizações, o modelo de trabalho parece ter vindo para ficar. Portanto, contar com um espaço agradável, com privacidade e estrutura para trabalhar com produtividade tornou-se um pré-requisito no momento da compra.

Cozinha

A família toda está utilizando mais a cozinha e reconhecendo o valor do espaço na rotina. O cliente do pós-Covid investe na cozinha e pensa em fazer o mesmo com os outros espaços – demanda que abre espaço para o setor de design e decoração.

Economia local

A localização do imóvel e a busca por áreas que contem com boa estrutura e comércio também viraram prioridade. Com as medidas de isolamento, os consumidores estão priorizando a economia local.

Agilidade nos processos

Primeiras visitas a imóveis começaram a ser feitas via vídeo chamadas, o contato passou a ser mais rápido via web, o envio de documentos de forma digital tornou-se padrão.

A “desburocratização” dos processos é um dos maiores legados dessa fase, para os clientes e também para os vendedores, que tiveram que adaptar-se a uma nova forma de trabalhar – geralmente associada à praticidade e velocidade da realização dos negócios, resultante do aumento dos hábitos digitais  durante a pandemia.

Hoje, é possível comprar, vender ou reformar um imóvel sem sair de casa, através do celular ou computador. A escritura digital já é uma realidade em vários locais e o documento pode ser obtido em 15 minutos. 

Novos hábitos e novas exigências significam novos negócios. Mudanças grandes como as que estamos testemunhando hoje sempre chegam acompanhadas de oportunidades. Por aqui, estamos ansiosos por tudo que o novo ano trará!